Pré-carregamento

Os Rolês do Design pelas Noites Gregas

Os Rolês do Design pelas Noites Gregas

Nas últimas semanas, tive a oportunidade de descobrir um pouco mais sobre a história da mitologia grega através do podcast Noites Gregas, disponível no Spotify. 

Sim, eu sei que é um pouco peculiar, pois não é um assunto de interesse tão geral assim, mas vai por mim, é MUITO f@da! 

Dentre as várias passagens e aventuras narradas pelo professor Moreno no podcast, podemos pinçar diversos registros de elementos culturais, expressões verbais e estéticas, que surgiram na época de criação dos mitos do Olimpo e que são vigentes na sociedade até hoje. 

Atena ou Minerva?

Um bom exemplo é o caso do “Voto de Minerva”, expressão que se relaciona com a Deusa da justiça, Atena, que ganha o nome de Minerva, ao ser transladada para a mitologia romana. 

Atena ou Minerva, filha de Zeus, era uma Deusa, sensata pra caramba, que usava suas noções e senso de paridade para tomar decisões brandas, acalmando os ânimos e controlando os danos ao máximo para ambas as partes.

Portanto, o último e derradeiro voto na tomada de decisão no Panteão, cabia a Atena (ou Minerva, tu já entendeu né?). 

Esteticamente, é tudo muito bonito, representações épicas, deuses e deusas maravilhosos quase sempre retratados com corpos esculturais. É interessante reparar que, cada divindade possuía um encargo, portanto acabava sendo endereçado e adotado como um protetor de várias designações humanas. 

Poseidon, Deus dos Mares, recebia muitas orações e rituais feitos pelos navegadores, para fazerem boa viagem. Afrodite, Deusa da Beleza, fora enaltecida na busca de uma alma gêmea no casamento. Apollo, Deus da Luz e do Conhecimento, virou símbolo da medicina e suas ramificações. 

Maaaaas, se a gente fosse colocar uma divindade que representasse essa gentinha que nem eu, designer, na minha singela opinião, seria Hefesto. Sabe aquele cara, que tu olha e não dá nada, porém quando bota a mão na massa, sempre sai coisa boa? Esse era o Hefesto. 

Hefesto do povão

Normalmente a grande maioria dos deuses eram representados malhados, depilados e lindos, Hefesto não. Peludão, bruto e esquisito, o bicho era meio complicado no social, definitivamente a primeira impressão não era das melhores. O ferreiro do Olimpo, era conhecido como Deus operário, mas a gente pode chamar ele de “maker”. 

Armas, artefatos, joias, adereços, ele fazia de tudo e fazia muito bem. Na sua forja, ele fazia a mágica acontecer, usando o fogo para moldar e dar forma às suas criações. Agora, dá pra fazer uma relação interessante com o design, que também envolve a criatividade, transformação e a criação de algo que seja bonito e funcional. Assim como Hefesto dominava a arte da forja, os designers de embalagens, por exemplo, tem a responsa de criar embalagens que sejam atraentes e eficientes. 

Utilizamos de diferentes materiais e damos forma a eles, criando uma estrutura que protege o produto e mostra sua personalidade. Hefesto, com seu domínio do fogo, também tem relação com a importância do visual das embalagens. O fogo de sua forja é uma metáfora para a paixão e energia criativa, refletidas nas cores, nos gráficos e nas imagens que utilizamos para chamar a atenção dos consumidores. 

A identidade pode ser tão envolvente quanto uma chama de fogo, capturando o olhar das pessoas e despertando o interesse delas. E, assim como Hefesto prezava pela funcionalidade das suas criações, precisamos levar em conta a praticidade e a usabilidade. 

Entre deuses e meros mortais

Uma embalagem bem projetada deve ser fácil de manusear, de abrir e de guardar o produto, tornando a vida do consumidor mais fácil. 

Hefesto nos lembra que a aparência e a utilidade devem andar de mãos dadas no design (atualíssimo né?). Além disso, assim como Hefesto era conhecido pelas suas criações únicas e personalizadas, as embalagens podem ser vistas como uma forma de expressão da identidade da marca. 

Cada produto tem sua própria história e propósito, e o design da embalagem é uma oportunidade de comunicar tudo isso pro consumidor. Assim como Hefesto dava vida às suas criações, nós designers temos o poder de dar vida à marca e criar uma conexão emocional com as pessoas. 

Então, é isso, essa é uma das correlações que podemos traçar da mitologia grega para nossa vida e rotina profissional. 

Fica a recomendação do podcast Noites Gregas, que nos mostra que a mitologia é uma herança cultural riquíssima que faz parte da nossa constituição de sociedade de diversas formas, além de ser muito afudê!

As melhores campanhas de Dia das Mães para você se inspirar!
Postou 6 maio 2024

As melhores campanhas de Dia das Mães para você se inspirar!

O conteúdo do Dia das Mães pode ser muito igual e genérico, espera-se que o amor de mãe seja tão grande que qualquer coisa acaba sendo aceita. Mas não é bem assim! Acreditamos que as mães do mundo todo merecem muito mais carinho e criatividade, apenas um bombom e um abraço não é o...

LEIA MAIS
Meta – Copia, só não faz igual
Postou 6 maio 2024

Meta – Copia, só não faz igual

Recentemente o Meta anunciou a possibilidade de colocar carrosséis nos reels do Instagram, uma função já disponível no TikTok. Como diria a expressão: “Quem não tem cão, caça com gato”. Isso se aplica muito bem no modo como o Meta (Facebook/Instagram) age com outras plataformas...

LEIA MAIS
Fique por dentro!
Receba nossas últimas novidades por email.
Fique por dentro!
Receba nossas últimas novidades por email.
Você está inscrito!
Obrigado.
Obrigado.
Você está inscrito!
Envie isso para um amigo