Pré-carregamento

O TikTok e o entretenimento rápido

O TikTok e o entretenimento rápido

Os nossos hábitos de consumo de conteúdo mudaram drasticamente desde o surgimento do entretenimento rápido. As plataformas online deram azo a que consumidores também sejam produtores, tornando essas produções cada vez mais niche dentro dos aplicativos.

A rede social que mais se destacou, tendo um aumento significativo de usuários e investidores durante a pandemia, foi o aplicativo chinês TikTok. “Os conteúdos gerados por usuários (UGC), somados à mídia social, se tornaram uma forma integrada de comunicação que oferece às pessoas a oportunidade de criar conteúdo, compartilhar e estabelecer sua própria rede”(Omar & Dequan, 2020, p. 122)[1].

O TikTok e o entretenimento rápido

Além de, em si, ter criado uma nova gama de jovens profissionais — os chamados influenciadores — esse aplicativo também trouxe à tona um conceito que já havia sido visto entre 2013 e 2017: os vídeos curtos de entretenimento, conhecidos pelo app Vine. No âmbito do Marketing, este novo modelo de conteúdo significa o surgimento de uma nova divisão do setor, “dando origem a toda uma indústria de influenciadores de mídia social e agências de Marketing de influenciadores” (Haenlein et al., 2020, p. 6)[2]. Por sua vez, é dever do profissional da área instigar seus clientes a produzirem este tipo de conteúdo, dado que a capacidade de foco dos usuários é cada vez menor, já que utilizam as redes como forma de “escapismo, interação social e para fins de arquivamento.” (Omar & Dequan, 2020, p. 130)[3].

Entretanto, para conseguir aplicar o tipo de conteúdo que os usuários procuram neste formato, é necessário se adequar às diretrizes estabelecidas socialmente, embora sejam elas inauditas. “Ao contrário do Instagram (que é principalmente um aplicativo de compartilhamento de fotos de estilo de vida), o TikTok se posiciona para se concentrar em vídeos peculiares, a maioria dos quais não foram produzidos de forma muito profissional ou estética.” (Wang, 2020, p. 2)[4].

É claro que, como profissionais da área, não se pode compactuar com um vídeo qualquer. O objetivo principal deve ser aliar a essência do TikTok, um conteúdo leve e divertido, aos conceitos do seu cliente. O mais importante é que, independente do segmento, o vídeo seja divertido. Pode ser de culinária, mostrando um projeto, ou até mesmo uma loja, e, desde que se escolham as músicas em alta e o timing correto, é muito provável que o conteúdo seja entregue a mais usuários.

Então, tente fazer este experimento com o seu cliente. Existe a possibilidade do seu vídeo se tornar viral, daqueles que “atraem milhares de comentários e milhões de visualizações, likes e dislikes, promovendo assim um maior envolvimento” (Omar & Dequan, 2020, p. 122)[5]. Acompanhar as tendências faz parte do Marketing. Explore todas as suas possibilidades.

Referências

Haenlein, M., Anadol, E., Farnsworth, T., Hugo, H., Hunichen, J., & Welte, D. (2020). Navigating the New Era of Influencer Marketing: How to be Successful on Instagram, TikTok, & Co. California Management Review, 63(1), 5–25. https://doi.org/10.1177/0008125620958166

Omar, B., & Dequan, W. (2020). Watch, Share or Create: The Influence of Personality Traits and User Motivation on TikTok Mobile Video Usage (pp. 121–137). International Association of Online Engineering. https://www.learntechlib.org/p/216454/

Wang, Y. (2020). Humor and camera view on mobile short-form video apps influence user experience and technology-adoption intent, an example of TikTok (DouYin). Computers in Human Behavior, 110, 106373. https://doi.org/10.1016/j.chb.2020.106373


[1] Tradução do original: “User-generated content (UGC) plus social media is an integrated form of communication that provides people with the opportunity to create content, share and establish their own network”.

[2] Tradução do original: “[…] given rise to an entire industry of social media influencers and influencer marketing agencies.

[3] Do original: “[…] consume or watch TikTok for escapism, social interaction and archiving purposes.”

[4] Originalmente: “Unlike Instagram (which is primarily a lifestyle photo-sharing app), TikTok positions itself to focused on quirky videos, most of which were not too professionally or aesthetically produced.

[5] Do original: “[…] viral videos on TikTok attract thousands of comments and millions of views,

likes and dislikes, thereby promoting further engagement.”

Uma conversa com o diabo
Postou 11 janeiro 2022

Uma conversa com o diabo

Muito se fala nas palavras de Deus, mas e se você pudesse conversar com o Diabo? Em 1938, após uma das mais graves crises econômicas mundiais, o escritor Napoleon Hill publicou a obra intitulada “Mais esperto que o Diabo”, onde descreve uma suposta entrevista com o Diabo. No decorrer da...

LEIA MAIS
A cultura participativa e o perpetuar do interesse
Postou 8 dezembro 2021

A cultura participativa e o perpetuar do interesse

Enquanto peça-chave, os consumidores exercem uma postura de ressignificação pavimentada por uma cultura onde consumir é apenas uma etapa do processo. Apaixonados e criativos, cabe a estes fãs vivenciar as possibilidades daquele objeto de afeto e interesse, seja ele uma série de TV, uma...

LEIA MAIS
Envie isso para um amigo