Pré-carregamento

A influência da embalagem criativa em meio ao caos do supermercado

A influência da embalagem criativa em meio ao caos do supermercado

E se você chegasse no mercado e todas as embalagens fossem brancas?

E se você não pudesse comprar novamente um molho saboroso por não lembrar qual pacotinho havia pego na última vez?

E se, ainda, você não pudesse experimentar um biscoito diferente do tradicional?

Vamos combinar, o mercado seria um saco!

Há alguns motivos que acirram a disputa da nossa atenção no mercado. Mas, embora as embalagens tenham o simples trabalho de proteger e envolver o produto, a evolução mercadológica e o aumento de marcas/variedades, fizeram com que surgisse a necessidade de agregar mais uma função, a personalização. A partir daí, foi possível expor argumentos e benefícios que buscam a atenção do consumidor.

A embalagem é uma forma de tradução material da empresa, uma importante ferramenta de marketing.

Dentro de cada segmento e de acordo com suas limitações, criativos quebram suas cabeças para encontrar a aparência ideal que atraia e desperte o desejo do consumidor. Isso porque, cada vez com mais frequência, o consumidor se depara com uma variedade enorme de novos produtos e embalagens nas gôndolas do supermercado e, claro, diante de tanta diversidade, a escolha pode acabar sendo influenciada pelo formato, cor, linguagem ou design.

Nem sempre é preciso esculpir uma nova, mas quando isso acontece… Surge uma nova maneira de vender e expor um produto. Quem, sentado em seu sofá em um ócio criativo pensou em enrolar o cabo do seu fone de ouvido a fim de montar uma nota musical? É o caso deste design de embalagem. Ele transforma o emaranhado de cabos que costumamos ver ocultos na embalagem em arte. Genial. Desperta atenção, está ligado ao universo do produto e o melhor de tudo, simples e harmônico.

A influência da embalagem criativa em meio ao caos do supermercado

Embora o artista por trás de uma embalagem seja oculto na maioria dos casos, o consumidor, por sua vez, é o protagonista que vem sendo moldado por este cenário. Isso impacta diretamente na sua exigência e na sua opinião. Além do mais, diante de tanta variedade e similaridade nas gôndolas, seu comportamento de consumo também está em constante alteração. Em questão de segundos ele pode devolver um produto na prateleira e optar pela marca ao lado por simplesmente ser mais atrativa aos olhos.

A influência da embalagem criativa em meio ao caos do supermercado

Fábio Mestriner, professor da ESPM e especialista em design e inteligência de embalagens, fala que “explorar ao máximo o potencial de uma embalagem é o melhor negócio que uma empresa pode fazer, sobretudo porque para o consumidor a embalagem é o próprio produto. Ele não separa o conteúdo da embalagem.” 

Isso nos mostra que, embora se faça necessária informações de cunho legal e obrigatório em uma embalagem, o principal objetivo é ajudar a marca a subir um degrau no relacionamento com seu cliente, formar um conceito sobre o fabricante e agregar valor significativo ao produto.

Uma pesquisa realizada em 2019, pela Two Sides Brasil, apontou que, para 32% dos participantes, a influência da embalagem no momento da compra é constante e para 41% é frequente. Ou seja, é o design e o layout da embalagem mostrando sua força na tomada de decisão de compra.  Além do mais, isso faz com que a indústria seja obrigada a se aperfeiçoar cada vez mais. A pesquisa ainda aponta outros dados, para 47% dos entrevistados um ponto importante é a maneira de abertura ou fechamento da embalagem. Ou seja, não basta ser bonito e criativo, precisa funcionar de verdade, precisa facilitar a vida do consumidor.

Portanto, a palavra da vez é encantar.

Causar uma boa impressão, despertar interesse e ser funcional é o mínimo aceitável para uma embalagem, seja vinho, molho ou biscoito. Encante.

Dá um confere na nossa aba de Cases, o Panda já fez muita embalagem bacana e já destacou muitos produtos em meio ao caos do mercado!

Mais que amigos, “friends”
Postou 19 janeiro 2021

Mais que amigos, “friends”

A importância da construção de relações genuínas no ambiente de trabalho Quando alguém nos pergunta: “O que você faz da vida?”, nossa resposta automática tende a ser relacionada às nossas atividades no trabalho. Não que esse tipo de raciocínio não mereça uma análise mais profunda,...

LEIA MAIS
Um bom começo
Postou 20 novembro 2020

Um bom começo

Ser mãe consiste em viver num campo caracterizado por uma linguagem própria, da mesma forma que ocorre na comunicação, lidando com atividades que através das palavras, dos gestos e do olhar, encontram suas ferramentas básicas de trabalho.  Posso descrever que minha profissão no...

LEIA MAIS
Envie isso para um amigo