Existem muitos aspectos que fazem de um negócio um case de sucesso.

Mas o principal e, no final das contas, o único que realmente importa é: o resultado.

Se o seu negócio não gera resultados (normalmente traduzidos em receita, market share, crescimento, entre outros), então algo não está funcionando como deveria e o propósito primordial não está sendo cumprido.

Para que isso aconteça, alguns fatores devem ser, sempre, levados em consideração. A maneira mais clássica, ainda que básica, supre a maior parte das necessidades imediatas de organização dos processos de venda de um empreendimento.

Organizar e entender de maneira clara os famosos “4 Pês” do seu negócio são, com certeza, o ponto de partida para compreender quais são os problemas e desafios a serem sanados antes de começar a desenvolver o processo de vendas para algo mais elaborado e focado.

Mas por que eu comecei o nosso primeiro artigo falando de algo tão básico e que você, provavelmente, já está careca de saber? Porque, ao longo desses mais de 20 anos de carreira, eu pude testemunhar inúmeros casos onde o “básico” foi ignorado, ou simplesmente não saiu do papel. Prejudicando o resultado final do principal objetivo citado acima.

Costumo dizer que “uma excelente comunicação que representa um produto ruim, uma localização ineficiente e/ou um preço desalinhado ao cenário de consumo, está fadado ao fracasso. Ao passo em que uma boa comunicação, porém promovendo um bom produto, bem distribuído/localizado e com um preço que seja percebido como vantagem pelo cliente pode e, no seu tempo, vai ajudar o negócio a prosperar”.

Ou seja: Uma ótima comunicação com uma experiência ruim não vai conseguir manter os resultados. Porém, uma comunicação eficiente, alinhada aos objetivos e apoiada por uma boa experiência de marca vai  trazer os resultados almejados.

Exemplo:
1. Um novo restaurante, com um logo e identidade de marca lindos, fotos maravilhosas. Porém, com uma comida ruim ou garçons atrapalhados e que demoram a servir.

2. E um restaurante com logo e identidade atrativos, com uma excelente comida, atendimento ágil e eficiente.

Marcas fortes abrem corações (e bolsos)

Nos dois casos, a experimentação inicial acontece. Porém, desses, em qual você retornaria? E, mais importante, qual você indicaria?

É aí que chegamos no ponto que gostaria de abordar: qual o papel – a curto, médio e longo prazo – que logo, identidade de marca e estratégia de comunicação de uma empresa representam?

A resposta, por mais óbvia que possa parecer, é simples: Instigar e estimular à experimentação. Sempre.

É a “isca” que provoca e atrai.

Agora, o “anzol” que fisga e aproxima, esse é formado por todo conjunto que forma o processo de venda e cria uma marca na experiência do cliente.  

Marcas fortes abrem corações (e bolsos)
Comunicar é instigar à experimentação.

Quando o cliente passa por todas as barreiras (sejam elas mudança de paradigma, geração de necessidade, preço, até mesmo algum eventual preconceito) e sai da zona de conforto da sua rotina para experimentar, o primeiro papel da comunicação foi cumprido. Atraiu seu público e desempenhou seu objetivo inicial.

A partir desse ponto, ela divide a responsabilidade de continuar a fomentar o interesse, criar necessidade e, com do tempo, “marcar” o consumidor. Ou seja, gerar experiência de marca.

saudades de uma experimentar uma geléia de morango né minha filha?
Saudades de uma experimentar uma geleia de morango, né, minha filha?
Foto: Panda Branding para Doces Forno Velho.

E o que podemos concluir com essa análise?

A importância da comunicação para um negócio é enorme. E a mesma precisa (e deve) estar alinhada aos valores da empresa e, principalmente, às expectativas que a experiência de marca devem entregar. Caso contrário, o tiro pode ter a direção do pé. E, convenhamos, o esforço para reverter uma má experiência é herculeamente maior ao de gerar e manter uma boa.

Então, nós do Panda Branding, colocamos sim toda a responsabilidade do sucesso do negócio de nossos cliente no nosso produto: Comunicação para gerar valor de Marca. Pois somos a porta de entrada para aquilo que gera resultados.

Porém, não esqueçamos que também dividimos a responsabilidade com os demais pontos de contato com o cliente e que, quanto antes a compreensão disso for assimilada, maiores são as oportunidades para atingir os objetivos de crescimento e, obviamente, de criação de marcas fortes.

E é por esta razão que, dia após dia, ao longo desses anos, nosso foco principal é criar marcas fortes para ajudar nossos clientes a fazer isso: abrir corações (e bolsos) e transformar isso em resultados.